4 Tipos de Dívidas que Você Deve Evitar ao Máximo

Provavelmente você já escutou que sempre que possível é melhor pagar à vista.

Com certeza isso ajuda na organização financeira de cada pessoa. Pagando as contas à vista fica mais fácil de não contrair dívidas.

Entretanto, não significa que se endividar seja algo necessariamente ruim. Pelo contrário, muitas vezes para conseguir realizar algum sonho ou conquistar objetivos maiores é preciso se endividar.

Basta olhar para os números das grandes empresas que são cotadas na bolsa de valores. Grande parte delas possui dívidas. E isso é essencial para que elas continuem crescendo.

É claro que é muito importante não ter dívidas muito altas. Mas isso também não é tudo. O que mais afeta os brasileiros que se encontram endividados é a qualidade das dívidas que são contraídas.

Infelizmente os tipos de dívidas que são oferecidos para a maior parte da população no Brasil tem uma qualidade péssima. Com juros altíssimos e condições de pagamentos piores ainda.

Portanto, o objetivo desse artigo é alertar o leitor contra 4 tipos de dívidas que devem ser evitados ao máximo.

Dívidas no cheque especial

Talvez você ainda não saiba. Mas quando você abre uma conta corrente em um banco, além do seu saldo disponível, tem um valor a mais ali não é mesmo? Como se fosse uma extensão do saldo da sua conta.

Pois é, esse é o chamado de limite do cheque especial.

Dentre os tipos de dívidas, essa é uma das mais perigosas, principalmente pela facilidade que a pessoa tem de utilizar a mesma.

Essa modalidade de empréstimo já é pré-aprovada. Ou seja, não é preciso ir ao banco nem assinar nenhum tipo de contrato. Basta utilizar o valor concebido como se fosse dinheiro do usuário, e não do banco. Entretanto, é uma péssima ideia fazer uso deste limite.

Entenda que quanto maior a chance de o endividado não honrar com a dívida, maiores serão os juros cobrados pelo banco. Isso é uma forma para o mesmo se proteger contra a inadimplência.

Como o cheque especial é de fácil acesso, qualquer pessoa que está em péssimas condições financeiras pode fazer uso do mesmo e não honrar com a dívida.

Ao utilizar o limite do seu cheque especial, o banco vai lhe cobrar juros, que não são nada baratos. Os juros do cheque especial podem chegar a quase 15% ao mês!

Dívidas no cartão de crédito

O cartão de crédito é uma ferramenta muito poderosa, que dependendo da forma como for utilizado, pode tanto ajudar uma pessoa a organizar suas finanças, como pode ser utilizado para se endividar mais ainda.

Esse tipo de dívida também é conhecido como rotativo do cartão de crédito.

Você já deve ter reparado que quando vai chegando perto da data de pagar a fatura do seu cartão, o banco lhe dá a possibilidade de parcelar a fatura não é mesmo?

Por mais que seja muito tentador poder parcelar a sua fatura e pagar apenas uma parte dela, por favor não faça isso.

Como você deve imaginar, esse benefício não é disponibilizado gratuitamente pelo banco. Os juros cobrados nesse tipo de dívida estão entre os mais caros do mercado.

Os juros do cartão de crédito podem chegar perto dos 400% ao ano. Isso significa que uma dívida de 10 mil reais, se não for paga, em um ano se transforma em uma dívida de 50 mil!

Empréstimo com penhor

Eu mencionei anteriormente que quanto maior a possibilidade de alguém não honrar com a dívida, maior a taxa de juros não é mesmo?

Mas acontece que juros altos não são a única forma que a instituição financeira tem de se proteger contra a inadimplência.

O empréstimo com penhor é um tipo de dívida que oferece algum bem como garantia de que a dívida será quitada. Podendo ser itens como joias, automóveis ou até mesmo imóveis.

É preciso tomar muito cuidado antes de adquirir uma dívida deste tipo, e é aí que muitas pessoas erram. É preciso ter em mente que se não for honrado o pagamento desta divida, existe a real possibilidade da perda do bem que foi dado em garantia.

Após 30 dias do não pagamento das parcelas desse empréstimo, o bem que foi dado como garantia é levado para leilão, a fim de quitar a dívida.

Dívidas com um agiota

Esse eu acredito que seja o mais perigoso dentre os tipos de dívidas que foram apresentados aqui.

Caso você não saiba, o agiota é aquela pessoa que empresta dinheiro por conta própria, de forma ilegal. Ou seja, sem a autorização de uma instituição reguladora por trás. A prática de agiotagem é crime.

Entretanto, infelizmente muitas pessoas fazem uso dessas pessoas. E isso acontece principalmente porque os alvos dos agiotas são pessoas que estão no pior nível financeiro possível. Com dívidas até o pescoço e com nome sujo. Dessa forma elas não conseguem aprovação de crédito com instituições financeiras legalizadas.

Mas mesmo assim, recorrer a um agiota é uma péssima ideia. Porque os mesmos não estão interessados em ajudar o endividado. Apenas querem lucrar o máximo possível, não importando se a pessoa vai terminar em condições piores do que quando solicitou o empréstimo.

Os agiotas podem cobrar juros de mais de 20 ou 30% ao mês. Os mesmos também tomam bens valiosos como garantia, além de que se houver sinal de inadimplência, muitas vezes os métodos de cobrança podem ser violentos.

Espero que esse artigo tenha sido útil para lhe alertar sobre os tipos de dívidas que você deve evitar ao máximo. Principalmente a dívida com agiotas, pois são pessoas que emprestam dinheiro de forma ilegal, sem nenhuma instituição financeira legalizada por trás.

Portanto, antes de se endividar, tenha certeza de que já recorreu a todas as alternativas possíveis. Pense em formas de cortar mais os gastos e até mesmo maneiras de gerar renda extra. Muitas vezes atitudes como essas podem lhe salvar de ter que se endividar.