7 técnicas de estudo para um aprendizado mais rápido e eficaz

Conseguir boas notas em provas ou concursos exige muito estudo e dedicação, não é mesmo? Entretanto, por vezes, dedicar um tempo a mais para se debruçar sobre a matéria não parece ser o suficiente – a assimilação do conteúdo depende muito das técnicas de estudo que utilizamos, pois, além de eficazes, elas precisam estar adequadas à nossa forma de apreensão. 

Isso significa que cada pessoa assimila o aprendizado de uma maneira diferenciada: o que é bom para seu amigo que passou em primeiro no vestibular de medicina pode não ser bom para você. E o contrário também acontece. Por esta razão, faz-se essencial conhecer e experimentar diferentes práticas, para finalmente encontrar a técnica que mais combina com você e seu modo de aprender. 

E é sobre isso que vamos tratar no post de hoje: sobre variadas ferramentas de estudo para quem busca mandar bem nas avaliações e, o melhor, levar o conhecimento para o resto da vida. 

mulher estudando

Cada um aprende de uma forma específica 

Antes de apresentar as técnicas, queremos deixar claro que não será tão fácil encontrar o mecanismo perfeito de estudo. Uma prova disso são nossos sistemas representacionais, que são responsáveis por codificar tudo que ocorre no mundo externo pelo canal visual, auditivo, digital e cinestésico (que envolve tato, olfato e paladar).

E cada um tem um sistema representacional preferido para se comunicar e assimilar as informações do mundo. Uma pessoa auditiva, por exemplo, aprende melhor ouvindo áudios, podcasts, repetindo em voz alta ou conversando com alguém. A pessoa visual tem memória fotográfica, ou seja, prefere a leitura ou receber uma explicação com desenhos, gráficos ou palavras.

Já a cinestésica é aquela que sente, que percebe as coisas pelo contato e pela experimentação. E por fim, a digital é aquela pessoa analítica, que precisa de muitas informações para compreender o conteúdo como um todo. No entanto, a leitura é um ponto fraco, por não possuir grande capacidade de concentração. 

É por conta dessa variedade de sistemas que cada pessoa aprende de uma maneira diferente. Mas fica tranquilo, pois além de oferecer materiais de estudo, te ajudaremos a encontrar a estratégia mais eficiente para você aprender. 

Técnicas de estudos: conheça as mais eficientes para seu aprendizado

Ter uma metodologia de aprendizado bem definida é essencial para guiar seus estudos e principalmente otimizar seu tempo, ainda mais se sua rotina for estreita e sobram poucas horas semanais para assimilar diferentes conteúdos. Confira nossas sugestões para você experimentar! 

1. Resumo

Essa é uma das práticas mais utilizadas pelos estudantes, justamente pela eficácia. Ela consiste em extrair as principais ideias do conteúdo inicial, deixando-as organizadas de modo simplificado, sintetizado e, o mais importante, claro. Ao fazer um resumo, você regista tudo que compreendeu do conteúdo à sua maneira e pode voltar sempre que for necessário para relembrar tudo de modo prático. 

Por explorar diferentes habilidades: leitura, compreensão, escrita etc, é uma ferramenta útil para pessoas de diferentes tipos de aprendizagem. 

resumo de estudos

2. Flashcards

Esse é um método dinâmico de aprender e memorizar, especialmente se o conteúdo for muito denso e envolver muitas definições. Os flashcards lembram muito o jogo da memória: são cartões que combinam perguntas e respostas sobre conceitos estudados. Em uma face do cartão se encontra a pergunta – ou termo a ser definido –, e do outro, a resposta – ou definição do termo. 

É possível criar os cartões com qualquer material , tanto papelão, papel sulfite, cartolina, quanto no meio digital, considerando que já existem programas próprios para este método de estudos. O lado bom de ter os cards em papel é que você pode levar consigo para qualquer lugar que for, podendo treinar quando tiver um espacinho livre na agenda.

O flashcard é um método eficiente quando usado como complemento da rotina do dia a dia, sendo ótimo para nos afastar da curva do esquecimento – a perda de informação devido a falta de tentativa de retenção. Por trazerem ares de maior dinamismo nos estudos, o melhor mesmo é utilizá-los como uma forma de revisar o conteúdo aprendido em uma rotina mais regrada de estudos.

3. Mapa mental

Os mapas mentais são essenciais para quem aprende de forma imagética. Isso porque são diagramas quase que palatáveis em que uma ideia central se ramifica em várias outras ideias de gênero menor, mas sempre como um desdobramento do conceito base.

Esse método é com certeza um dos mais utilizados por estudantes, dada a sua alta funcionalidade. Sua construção é bem intuitiva e, geralmente, é feita no papel com cores bem expressivas e chamativas, o que torna o conceito e subconceitos de fácil identificação. 

Se você precisa assimilar e reter um conceito e suas derivações, considere o uso de mapas mentais. Só se lembre de que a essência dessa metodologia de estudos é a redução conceitual em palavras-chaves interligadas que, ao serem revisitadas, lhe trarão na memória o conhecimento integral, logo, seja sintético.

4. Quizzes

Um quiz consiste em um jogo de perguntas e respostas sobre um assunto específico. Geralmente, são utilizados com o objetivo de entreter. Não à toa, você os encontra facilmente nas maiores redes sociais. Mas você sabia que pode utilizar a estrutura do quiz para turbinar os seus estudos?

Isso mesmo! Como os quizzes consistem em questionários mentais que visam avaliar os conhecimentos que temos, usá-los como um suporte de estudo pode ser uma ótima forma de reter o conteúdo. Sem contar que, através deles, os seus estudos podem se tornar bem dinâmicos e criativos. Eis aqui uma ótima forma de aprender brincando.

5. Pomodoro

Se você acredita que uma das suas maiores dificuldades de estudos é o gerenciamento de tempo, não se preocupe, temos uma técnica especial para você. 

método pomodoro surgiu nos anos 80 como uma forma de aumentar a produtividade do estudante Francesco Cirillo. Para tanto, o universitário utilizou um timer no formato de um tomate que sempre, passados 25 minutos, apitava sinalizando o término do tempo.

Durante os 25 minutos, Cirillo não fazia outra coisa a não ser se dedicar as tarefas previamente listadas. E é isso que te sugerimos fazer também. Após listar as matérias que você quer estudar, disponha de 25 minutos para cada uma, respeitando o tempo de estudos e se afastando de qualquer distração, tais como celular, redes sociais e televisão.

Quando o seu timer ou despertador apitar a conclusão do tempo, anote a tarefa finalizada e descanse por 5 minutos com uma atividade qualquer que não esteja relacionada aos estudos. Passados 4 ciclos, aumente o tempo de descanso para não fatigar, assim você assegura a eficiência do aprendizado, descansando a sua mente antes de se concentrar novamente nos estudos.

6. Simulados

Uma forma efetiva de estudar para uma prova específica é a partir de simulados. Isso porque os simulados são ferramentas poderosas que podem te ajudar a se acostumar com a dinâmica da prova em questão, considerando que em sua maioria são feitos com questões já realizadas em processos anteriores.

Considere ainda o fato de que, ao fazer simulados, você tem a possibilidade de estudar uma questão que cairá de forma similar em seu teste. Aliás, se você está estudando para um concurso, certamente pode encontrar no mercado a venda de apostilas com as questões das provas anteriores e os respectivos gabaritos, o que pode te auxiliar na retenção do conteúdo estudado.

A depender do concurso, você pode achar e baixar essas provas facilmente na internet, entrando no site da banca organizadora do concurso. Vale a pena estar a par desse material, afinal, assim você pode selecionar algumas questões e criar o seu próprio simulado.

calculos

7. Técnica mnemônica 

O termo “mnemônica” está relacionado à memória, do que se segue que estudos mnemônicos possuem como objetivo facilitar a memorização de um conceito por meio de associações ou palavras-chaves.

A um primeiro momento pode soar estranho, mas você já deve ter utilizado a técnica mnemônica para decorar algum ponto importante de uma matéria escolar. Essa frase te parece familiar: “Minha Vó Tem Muitas Joias, Só Usa No Pescoço”? Ela é muito utilizada nas aulas de geografia para ajudar os alunos a decorar o sistema solar, considerando que cada inicial representa um planeta.

Essa aplicabilidade não é prerrogativa de apenas uma matéria, uma vez que você pode utilizar a técnica para qualquer área de estudo. O importante é que as associações livres façam sentido e sejam fáceis de decorar. Uma dica que pode te ajudar é buscar frases associativas que possuam certa musicalidade e cadência para facilitar o processo de memorização.

Agora sim você já está pronto para alavancar os seus estudos com técnicas precisas e funcionais. Mas lembre-se: não existe um único jeito de aprender, o melhor mesmo é testar as metodologias que apresentamos acima e observar qual se encaixa melhor para você em termos de aquisição de conhecimento, conforto e resultados. 

E se perceber que ao longo do processo precisará mudar a metodologia, não hesite em buscar o que é melhor para os seus estudos – afinal, um bom método é essencial no processo de aprendizagem.

Agora, se gostou de nossas dicas e quer ficar por dentro de mais conteúdos instrutivos para aperfeiçoar a sua rotina de estudos, não deixe de conferir as nossas postagens semanais aqui no blog. Até a próxima!

0 Comentários

Deixe um comentário

Avalie!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *